Entrevista à escritora Mariana Assunção da saga Eternamente || Cronica Literária

Olá meus queridos recentemente fui contactada pela querida Mariana escritora dos livros que aqui vos apresentei « Eternamente» e eu pedi se lhe ela me concedia a honra de uma entrevista e então aqui está uma entrevista para conhecermos melhor a menina que escreveu estes maravilhosos romances, espero que gostem e se inspirem a comprar livros dela.
"1. Fale-nos um bocadinho de si e da sua história até decidir que queria ser escritora. 

Desde que me lembro, sempre gostei muito de escrever. Quando andava na escola, adorava imaginar histórias, personagens e mundos diferentes da realidade, ou seja, cenários que me faziam puxar pela imaginação. Com isto, familiares, professores e amigos começaram a dizer-me que um dia poderia publicar um livro e essa ideia fixou-se mesmo na minha cabeça. Tive ainda mais certeza disso quando consegui, aos 11 anos, uma menção honrosa (ficando em 4º lugar a nível nacional) num concurso de escrita. E foi a partir daí que comecei a planear o projecto de escrever um livro. Comecei a andar sempre com cadernos atrás de mim e, sempre que me surgia uma ideia, lá anotava eu nesse caderno. 

2. Sempre quis ser escritora? 

Inicialmente, quando era criança, sonhava em ter as mais variadas profissões, mas não escritora. Mas sempre tive aquele “bichinho” pela escrita e isso acabou por falar mais alto. Conforme cresci, fui tendo outras ambições, mas sempre as conciliei com a possibilidade de me vir a tornar escritora. 

3. Com que idade escreveu o primeiro livro? 

Comecei a escrever o meu primeiro livro “Eternamente” aos 11 anos. A ideia toda do enredo surgiu nessa altura, mas depois acabei por deixar um pouco de parte essa história e só mais tarde, com os meus 16/17 anos é que lhe voltei a pegar (acrescentando só alguns pormenores) e decidi tentar publicá-la. 

4. Qual é o tipo de livros que mais lhe dão prazer escrever? 

Todo o tipo de história que me faça puxar pela imaginação e que fuja um pouco à realidade. Para mim, um grande desafio é o facto de poder inventar e isso dá-me mesmo muito prazer. Por isso, adoro o mundo da literatura fantástica e ficção científica.

5. O que a leva a escrever este tipo de literatura com o oculto místico e espiritismo à mistura? 

Tem a ver um pouco com a minha história de vida. O tema “morte” sempre me fascinou, no sentido de me deixar um pouco aterrorizada e ao mesmo tempo curiosa. Quando tinha 8 anos, a minha mãe faleceu e claro que isso me afectou muito. Foi a partir daí que decidi criar uma história de amor entre uma pessoa que está viva e outra que já faleceu (na forma de espírito), retratando um pouco também esse amor que ainda sinto (e sentirei para sempre) por ela, apesar de ela já ter partido. 

6. Por que título, “Eternamente”? 

Exactamente por acreditar que a morte não impede que um amor verdadeiro permaneça vivo. E pode ser qualquer tipo de amor: entre dois apaixonados, entre irmãos, entre pais e filhos… O amor permanece eternamente, para além dos limites do tempo. 

7. O mundo do misticismo é algo que a fascina? 

Muito. E ao mesmo tempo deixa-me aterrorizada. Mas este medo é também acompanhado por muita curiosidade. 

8. Qual a sua reacção à aceitação do público quando lançou o primeiro romance? 

Nunca pensei que fosse tão bem aceite. E, conforme o tempo vai passando, cada vez se tem espalhado mais e todo o feedback que tenho recebido deixa-me mesmo muito feliz e motivada para continuar. Tenho ficado muito surpreendida sobretudo com o primeiro livro (“Eternamente”) porque, como mencionei, tinha apenas 11 anos quando o comecei a escrever e reconheço que é uma história muito simples e bastante lírica (quase como que um “mundo cor de rosa”), mas está a ser muito bem recebido por leitores de diferentes idades, dos mais novos aos mais velhos.

9. Pretende continuar a escrever, depois de terminar esta série de Eternamente? 

Sim. Mas quero desenvolver mais a minha escrita e fundamentar mais as minhas histórias. Por isso, vou demorar um pouco mais a escrever, pois preciso de fazer algumas pesquisas e recolha de informação. 

10. Quais é que são os seus livros preferidos de ler? 

Sou bastante complicada em termos de leitura… É muito difícil encontrar um livro que me agrade realmente, mas quando me agrada leio num instante. Os meus géneros favoritos são a literatura fantástica e ficção científica, mas também gosto de alguns romances. Adoro livros que não sejam muito grandes, porque confesso que, quando o são, me aborrecem um pouco. 

11. Como conjuga a escrita com sua profissão e relação familiar? 

Neste momento, ainda estou a estudar. Estou no 3º ano de Psicologia, na Universidade de Coimbra. É muito difícil conciliar a escrita com os estudos… Quando estou em época de aulas e de exames, não consigo escrever e, por isso, apenas escrevo quando estou de férias. Actualmente, escrevo para um jornal online da minha terra, mas são pequenos textos e por isso é um pouco mais fácil de conciliar. Relativamente à família, têm apoiado muito e é muito fácil conjugar a escrita com as relações familiares. 

12. É fácil escrever ou às vezes tem bloqueios? 

Difícil, às vezes… Tenho bloqueios frequentemente. Mas geralmente, quando começo a escrever, acaba sempre por surgir alguma coisa. Claro que sai melhor quando estou inspirada, mas por vezes esses momentos de inspiração demoram muito a surgir.

13. O seu primeiro livro é totalmente imaginação sua ou tem base em algum facto verídico, personagens ou história? 

Tem por base um pouco daquilo que me aconteceu. Como referi, criei um amor entre uma pessoa viva e outra que já partiu que acaba por retratar o amor que continuo a sentir pela minha mãe, apesar de ela também ter partido. Algumas personagens são também baseadas em pessoas que convivem comigo. Mas, retirando essa base, a história é totalmente imaginação minha. 

14. Qual o personagem que lhe dá maior prazer a escrever? 

A resposta é quase óbvia, mas tenho mesmo de admitir que é a personagem principal, Filipa. Ela é basicamente um retrato meu e muitos dos desabafos dela no livro são, na verdade, os meus desabafos na realidade. 

15. Gostaria de ver retratado o seu romance em filme? 

Quantas vezes imagino isso!… Certamente seria filme que iria ver… 

16. Para quem, que ao contrário de mim, ainda não tenha lido este livro, pode falar-nos um bocadinho sobre ele? 

Este livro envolve mistério, romance, aventura e o sobrenatural. Fala sobre um amor jovem e inocente que surge na sua simplicidade e que mostra que para amar não há limites. Mas este romance é atormentado pela constante perseguição do passado que acaba por lhe dar uma reviravolta, ao revelar um grande mistério que vai mudar a vida das personagens. A grande questão é se este amor vai ser capaz de resistir a todas estas diferenças e mudanças… 

17. Para quando estará previsto um novo livro seu?

Quando lancei o “Eternamente” prometi que dali a 2 anos lançaria a sua continuação “Eternamente II”. No entanto, desta vez não prometi prazos, porque, como mencionei, quero desenvolver mais a minha escrita e fundamentar as minhas histórias e só consigo escrever quando fico de férias.
Porém, já tenho uma ideia em mente e já estou a trabalhar nela. Inclusive, também já fiz algumas pesquisas e já tenho o enredo mais ou menos planeado.
A temática vai envolver também o misticismo, mas de uma forma um pouco diferente, pois vou juntar alguma ficção científica (daí ter que fazer algumas pesquisas para fundamentar a história)."

Share this:

JOIN CONVERSATION

1 comentários: